Sandra Maria Gama Porto

Por  |  Sem Comentário

Cabo Frio -RJ  A minha história começou no ano de 2008. Fui ao ginecologista e ela me pediu os exames de rotina, preventivo e mamografia. Ao pegar os resultados, foi notificado um nódulo que estava pequeno, porém a médica me encaminhou para um mastologista e não me explicou nada do que poderia acontecer, mas eu também não liguei para procurar o que a médica havia pedido. Nesse mesmo ano, fiz a prova para ingressar na faculdade de pedagogia, passei e comecei a estudar, mais uma vez fui deixando o meu problema para depois. Em 2009, voltei a fazer novos exames, porém acusou a mesma coisa, fui para o mastologista e ele me pediu todos os exames para fazer a biópsia, novamente demorei a resolver o problema, porque a minha prioridade no momento era a minha faculdade, mais em 2010 o meu marido apresentou um problema também de saúde, fomos a vários urologistas e todos passavam remédios que nunca curava. Eu comecei a entrar em desespero devido o que ele estava passando e eu também, até o momento eu nunca tinha pedido ajuda a família dele, porque eu pensava que tudo iria passar, continue estudando sempre me perguntando como resolver esse problema que não era só meu, fiquei sufocada e vendo o sofrimento dele fui pedir ajuda a família dele, que até então o problema era só nosso e passei o que estava acontecendo com ele. Rapidamente a família resolveu me ajudar, a irmã dele agilizou um urologista e descobriu só em olhar que era um câncer, o médico se sentiu tão fragilizado que nem quis receber a consulta e mandou procurar outro médico com a mesma especialidade, no outro dia conseguimos o médico que havia indicado, ao chegar ao consultório ele pediu uma biópsia e logo houve a internação, nesse momento eu fiquei com ele no hospital e participei de tudo que se passava e eu continuei com o meu problema, estudando mas preocupada com ele, porque ele dizia se viesse o resultado positivo que iria acabar com a vida dele, e eu cada vez também pensava na minha situação do que poderia acontecer. Mas eu ficava desesperada, chorava mais que tinha que ficar transparente em casa. Finalmente chegou o dia D o resultado deu positivo e ele teve que fazer a cirurgia e passou muito bem, graças ao Deus que eu sirvo ele não precisou de nenhum tratamento, o mal foi cortado pela raiz.Com a melhora do meu marido, me deu muita força para resolver a minha situação junto dele, ele foi a peça fundamental me dando muita força para fazer todos os tratamentos. Em 2011, tive que parar a faculdade no 6º período porque não dava para continuar fazendo o tratamento e estudar. Começou a minha jornada do tratamento. Em Janeiro de 2011, fiz a biópsia e acusou o câncer na mama esquerda, comecei a fazer a quimioterapia e junto na minha tomografia que eu tinha feito também foi diagnosticado nódulo no pulmão e no abdómen, mas com a continuação da quimioterapia o nódulo do abdómen sumiu e veio á dúvida do meu pulmão, a Dra. Lilian já não sabia o que aparecia no pulmão, se era uma artéria ou nódulo e mandou que procurássemos um cirurgião de tórax, mas em Cabo Frio não tinha, então com ajuda de uma Assistente Social consegui o médico em Niterói que até então houve a confirmação que não era nódulo, porém ele confirmou ser uma artéria, mas para ter certeza pediu para que eu fizesse uma nova tomografia. Honra e Glória para o meu Deus, houve a confirmação que não havia nada no meu pulmão, eu já estava com outro médico quando recebi a notícia, fiz a consulta com o Dr.Gilson e decidiu me operar, passei muito bem na cirurgia, houve uma ótima cicatrização e voltei na Dra. Lilian para começar a fazer a radioterapia, só que no momento eu imaginava como seria se eu não tivesse dinheiro para custear a minha despesa. A Dra.Lilian foi uma grande amiga que eu encontrei, ela mandou que procurássemos a Joelma que é a Presidente das Amigas da Mama, e me informasse sobre á Casa de Apoio no Rio de Janeiro. Hoje me encontro nesta casa já terminando o meu tratamento, muito feliz de conhecer pessoas de diferentes lugares, porém com a mesma finalidade que é a busca da cura e para finalizar agradeço a Deus por ter colocado pessoas como a Beth e as voluntárias neste lugar. E que Deus abençoe todas as que passarem por aqui.“Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na angústia.”

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *